logomarca

Nigéria: um desafio missionário

imprimir tamanho da letra: A- normal A+

Neste mês esteve ministrando a palavra em nossa cidade o Pr. Ikechukwu Peter Nnajiofor, da Nigéria, que teve como intérprete o Pr. Jonas Borges. O pastor está no Brasil pregando a palavra de Deus e buscando ajuda para a obra missionária na Nigéria, o qual é um país extremamente perseguido pelo povo islâmico. Em conversa com O Missionário ele falou das dificuldades e do desafio de fazer a obra na Nigéria, que é um país “livre”, porém cheio de conflitos culturais, religiosos e políticos.

Antes de você ler um trecho de nossa entrevista com ele, entenda um pouco como é a Nigéria.

Nigéria

A República Federal da Nigéria está localizada no centro-oeste da África com uma área: 923.768 km2. E uma população de mais de 150 milhões. É o país mais populoso da África e um dos mais ricos do continente africano. Numericamente, ultrapassa a população total estimada de todos os países do Oeste Africano. Cerca da metade da população nigeriana afirma seguir a fé cristã.

Porém há uma grande diferença cultural entre o norte muçulmano e o sul cristão em grande parte.
Em muitos dos estados do norte muçulmano, a Sharia islâmica foi imposta pelo governo.

Existem grandes diferenças entre as culturas feudal predominantemente muçulmana do norte e do sul empresarial em grande parte cristã. Esta e as manipulações dos muçulmanos para manter o controle político são as causas principais da turbulenta história de independência que gera tensão, violência e golpes.

Constitucionalmente a Nigéria é um Estado secular com liberdade de religião. Por quase 40 anos a elite dirigente do Norte deu tratamento preferencial para os muçulmanos e a discriminação para com os cristãos. Pouco foi feito para parar a perseguição de cristãos no Norte do país, isso trouxe resultados trágicos de Igrejas queimadas e muitos cristãos mortos. Desde 1999, os líderes muçulmanos têm imposto a lei Sharia em 8 estados do norte para o ressentimento e perseguição dos cristãos.

(Trecho de nossa entrevista)

O Missionário: Pastor quais são as principais dificuldades e os desafios de ser ministro em um país com tantas diversidades culturais e religiosas?

Pr. Peter: Na maior parte da África existe um desafio chamado, violência islâmica, porque o povo islâmico tem uma estratégia, na qual eles usam o poder islâmico, o poder político e a educação, porém quando estes três não funcionam eles partem pra violência. A igreja tem se defrontado com este grupo chamado, boco haram, que mata pastor, membros de igreja, sequestra pessoas, queima os templos, faz ataques suicidas nas igrejas. Onde moro e sou pastor de uma igreja, na parte do Norte, essa violência é bem intensa, porque tem mais islâmicos. Mas além dos desafios religiosos temos as dificuldades financeiras, como a falta de energia elétrica e trabalho na roça manual. Nós missionários na África necessitamos de oração, de intercessão e também ajuda financeira. 

Deixe seu comentário
Sem comentários cadastrados.

Parceiros

Serve bem Verdurão Malharia Rio Verde Magazine Tecidos Casa da Biblia Maranata